COLUNA DO HUMBERTO MENDES 11/10/2018

 OS SINAPROS E O DESENVOLVIMENTO 

Muito mais do que fazer reuniões com os trabalhadores para discutir os dissídios coletivos de trabalho, os aumentos, as greves etc etc., um Sindicato como o nosso, o das Agencias, trabalha o tempo todo, incessantemente para cuidar de todos os interesses da categoria das agências, associadas ou não, a ele, Sinapro.

Este trabalho foi o que permitiu às agências, se organizarem para prestar um serviço com a qualidade que prestamos e que só é comparável com a melhor publicidade produzida no chamado primeiro mundo. É só lembrar que anualmente, em cada Festival de Cannes a nossa publicidade conquista prêmios em profusão. Nunca é demais recordar um pouco da história da propaganda, que por sí só, indica o que temos feito aos longo dos anos, pelo desenvolvimento de nossa atividade e do pais como num todo: poucos anos antes  da década de 1940 as agências ainda engatinhavam e tudo o que se fazia por aqui, era absolutamente amadorístico, porque apesar da abnegação dos corretores de anúncio e da boa vontade dos anunciantes, ninguém pensava em fazer algum trabalho criativo, bem pensado e inteligente  para ajudar o consumidor em suas escolhas.

 

Fazia-se um anuncio ou um reclame do produto e o consumidor que se virasse no ponto de venda para entender

 

O trabalho das agências de publicidade teve a maior importância na formação do consumidor brasileiro que passou a contar com uma informação baseada em estudos aprofundados de grandes profissionais como Castelo Branco, Caio Domingues, Lima Martensen, Moraes Sarmento, Italo Eboli, Emil Farah, Jose Kfuri e tantos outros, cujo trabalho nas agencias, descomplicou  o marketing, permitindo o acesso e entendimento da mercadologia no seu todo,  como também  a formação dos institutos pesquisas e outras ações.  

 

E as mensagens bem elaboradas pelas agências de  publicidade geraram mais consumo, maior produção, e um grande desenvolvimento  industrial.

 

Os Sindicatos de agências, hoje Sinapros  foi o principal marco da largada para o incremento de nossa atividade a partir de 1943. E o que é lamentável é ver que hoje ainda temos no Brasil alguns incautos que acreditam que os Sindicato patronal é irrelevante e dispensável. Se não tivéssemos como tivemos os nossos ótimos Sinapros ainda estaríamos engatinhando ou seríamos um bando corretores e jurássicos fazedores de reclames.

 

Não regrida - Mantenha ativo o seu Sinapro

 

Humberto Mendes

 Fenapro – Fed. Nac. das Agências de Propaganda